• Menu
  • Menu

Por que contratar um seguro saúde ou seguro governamental?

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Toda pessoa que viaja para a Europa precisa estar preparada para imprevistos de saúde, por meio da contratação de um seguro. E essa medida não é apenas uma precaução não, é uma exigência. Se você viajar para qualquer país do Tratado de Schengen (que cobre praticamente toda a Europa), um dos documentos requeridos é a apólice de um seguro saúde com cobertura mínima de 30 mil euros (ou o equivalente em dólares), para caso de acidentes ou doença.

A regra é a mesma para quem vai estudar no exterior, independentemente do tempo que você irá ficar no país. Por essa razão, a contratação de um seguro saúde para o intercâmbio é essencial e obrigatória sim. E pode acabar evitando muita dor de cabeça. Saiba como o seguro pode te ajudar na hora de algum imprevisto médico.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_custom_heading text=”Seguro de saúde na Europa” font_container=”tag:h4|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Diferente do Brasil, a maioria dos países na Europa não possui um sistema público de saúde e, se possui, o acesso a turistas e estrangeiros é restrito. Nesse caso, é preciso recorrer ao setor privado e aí um simples mal estar pode se tornar um problema muito maior, por causa do preço das consultas. É nesse momento que o seguro saúde pode cobrir os seus gastos e garantir que você receba o atendimento necessário em consultas ou emergências.

Os seguros de saúde possuem diferentes coberturas e oferecem diferentes serviços, que podem ser muito úteis ao intercambista. Algumas empresas, por exemplo, oferecem cobertura no caso de problemas de viagem, como extravio de bagagens ou cancelamento de voos. E nessas horas é sempre importante ter a quem recorrer. Outro benefício importante é a cobertura odontológica, já que esse tipo de procedimento também não sai barato no exterior.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”7162″ img_size=”650×432″ alignment=”center”][vc_empty_space height=”20px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Além disso, o seguro de saúde particular deve cobrir consultas médicas, exames, procedimentos cirúrgicos (emergências) e custos com medicação. Portanto, essa é a melhor maneira de estar completamente assegurado durante sua viagem.

No caso de intercambistas que estão com viagem marcada para destinos que não fazem parte do Tratado de Schengen, como a Irlanda, o próprio país trata de fazer exigências que seguem o padrão europeu. E falando especificamente em Irlanda, existe uma outra opção para o intercambista.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_custom_heading text=”Seguro governamental na Irlanda” font_container=”tag:h4|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Diferente do que muita gente pensa, o seguro governamental na Irlanda não é fornecido pelo governo. Este é um seguro particular, como todos os demais, e ficou conhecido como “governamental” pelo simples fato de que atende somente as exigências básicas do governo irlandês. Por essa razão, esse tipo de seguro é bastante procurado por intercambistas que vão estudar no país.

Assim como o seguro padrão, este também possui uma cobertura de 30 mil euros e cobre emergências, mas possui limitações no caso de consultas e exames, para os quais o estudante ainda precisará realizar o pagamento. Nesse caso, é preciso avaliar se o seguro mais básico vale mesmo a pena. Uma consulta com um clínico geral na Irlanda, por exemplo, pode sair entre 60 e 100 euros e poucos medicamentos no país são vendidos sem receita médica, incluindo o uso de anticoncepcionais.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”7161″ img_size=”650×430″ alignment=”center”][vc_empty_space height=”20px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Outro ponto importante é que o seguro governamental vale apenas para a Irlanda. Então se você pretende visitar outros países, talvez a cobertura de um seguro padrão europeu seja mais recomendada.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_custom_heading text=”Cuide-se antes e durante o intercâmbio
” font_container=”tag:h4|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Já entendemos que o seguro é importante e essencial para qualquer eventualidade, mas o que qualquer intercambista mais quer é não precisar nem utilizá-lo, não é mesmo? Por essa razão, é importante que você faça um check up médico geral, para saber como anda a sua saúde, antes de sair do Brasil. Assim você diminui a probabilidade de lidar com surpresas desagradáveis quando estiver em um país totalmente diferente, dependendo apenas do seguro saúde contratado.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_single_image image=”7163″ img_size=”650×384″ alignment=”center”][vc_empty_space height=”20px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Portanto, coloque na sua agenda exames cardíacos, hemograma completo, dentista, oftalmologista e outras consultas, dependendo de sua condição específica. Caso você tenha alguma condição pré-existente, tome todas as providências necessárias e caso esteja no meio de um tratamento médico, talvez seja mais indicado adiar os planos do intercâmbio até você estar 100%. Todas essas medidas vão beneficiá-lo durante o intercâmbio, para que você possa aproveitar ao máximo sua experiência no exterior.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.